Witzel vai à CPI, faz tabelinha com Renan e depois pede para ir embora

0
166
Imagem: Reprodução da TV.

O ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, compareceu na manhã desta quarta-feira (16/06) no Senado Federal para depor na CPI da COVID. Apesar de estar amparado por um habeas corpus que permitia que Witzel não comparecesse à comissão parlamentar de inquérito, o ex-governador, cassado por suspeita de corrupção, fez questão de ir à oitiva.

Iniciado o depoimento, ficou clara a razão de Witzel ter comparecido à CPI. Em suas considerações iniciais, cujo tempo regimental era de 15 minutos, Witzel ficou por cerca de meia hora fazendo inflamado discurso político em sua própria defesa, contra seu processo de impeachment e atacando o presidente da República, Jair Bolsonaro.

O presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), que minutos antes dissera que não toleraria mais desrespeitos aos tempos regimentais de fala, permitiu que Witzel falasse todo o tempo que quis.

Ao ser inquirido pelo relator da comissão, senador Renan Calheiros (MDB-AL), o ex-governador e o senador pareciam uma dupla de ataque entrosada em animada tabelinha de futebol. E as jogadas de ataque foram muitas, todas tendo como alvo o presidente Bolsonaro.

Terminadas as perguntas do relator e ao começar a ser confrontado pelos senadores, Witzel pediu para se retirar, usando a prerrogativa que lhe conferia o habeas corpus. O ex-governador foi embora sem ser perguntado das acusações de corrupção do seu governo que culminaram com sua cassação.

Assista o momento que Witzel pede para ir embora:

Wilson Witzel pede para ir embora após ser confrontado pelo senador Eduardo Girão sobre o preço dos respiradores comprados em seu governo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui