InícioLei e governoAmália Barros, deputada federal, morre aos 39

Amália Barros, deputada federal, morre aos 39

Publicado

A deputada federal Amália Barros (PL/MT; centro da foto) morreu aos 39 anos, conforme comunicado oficial divulgado em seus perfis nas redes sociais na madrugada deste domingo (12/05). Ela estava internada desde o dia 1º de maio devido a um nódulo no pâncreas.

Eleita deputada federal em 2022 por Mato Grosso, Amália também atuava como vice-presidente do PL Mulher nacional. No Congresso, participava das comissões de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência, Direitos da Mulher e Educação na Câmara dos Deputados.

Amália Barros

Natural de Mogi Mirim, São Paulo, Amália Barros perdeu a visão do olho esquerdo aos 20 anos devido a uma toxoplasmose. Após passar por 15 cirurgias, ela precisou remover o olho e utilizar uma prótese ocular a partir de 2016.

Desde então, a congressista adotou o gesto de cobrir o olho esquerdo com a mão, tornando-o sua marca registrada. Ela defendia pautas relacionadas à toxoplasmose e à visibilidade de pessoas com visão monocular.

Amália foi a inspiração por trás da Lei 14.126/2021, que reconhece a visão com apenas um olho como uma deficiência sensorial.

Em 2021, ela fundou o Instituto Amália Barros, posteriormente renomeado como Instituto Nacional da Pessoa com Visão Monocular. A instituição promove campanhas de doação de próteses oculares e oferece assistência a pessoas com visão monocular. Através desse instituto, a deputada federal realizava campanhas para arrecadar recursos e doações de próteses oculares e lentes esclerais.

Amália era filiada ao Partido Liberal (PL), partido do ex-presidente Jair Bolsonaro. Ela era próxima da ex-primeira-dama, Michelle Bolsonaro e a ajudava na condução do PL Mulher.

Últimos Artigos

Adolescente denuncia assédio de ativista LGBT+ em banheiro público

Um adolescente de 13 anos relatou ter sofrido assédio de ativista ligado à causa...

STF banca segurança para ministro na final da Champions League

O Supremo Tribunal Federal (STF) desembolsou R$ 39 mil em diárias internacionais, para um...

Ex-funcionária de Caetano Veloso entra com processo trabalhista contra o cantor

Uma ex-governanta da residência de Caetano Veloso e Paula Lavigne (esq. da foto), está...

Castração química é aprovada na CCJ do Senado

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou, nesta quarta-feira (22/05), o...

Mais notícias

Adolescente denuncia assédio de ativista LGBT+ em banheiro público

Um adolescente de 13 anos relatou ter sofrido assédio de ativista ligado à causa...

STF banca segurança para ministro na final da Champions League

O Supremo Tribunal Federal (STF) desembolsou R$ 39 mil em diárias internacionais, para um...

Ex-funcionária de Caetano Veloso entra com processo trabalhista contra o cantor

Uma ex-governanta da residência de Caetano Veloso e Paula Lavigne (esq. da foto), está...