Criança autista era mantida presa em canil

1
491
Imagem: Reprodução da Internet.

Não, não é um caso da semana ou do mês passado. É mais um caso de mais tratos contra incapaz.

Duas mulheres foram presas na última segunda-feira (17/05) em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Elas são acusadas de manter uma criança portadora de autismo em cárcere privado.

Elas são mãe e avó da criança, que tem oito anos. A vítima era mantida em um canil na parte externa da casa e a porta era trancada. O espaço do canil era de dois metros quadrados e completamente insalubre.

Uma denúncia anônima deu início às investigações há cerca de dez dias. Fotos do menino trancado no canil foram encaminhadas à Polícia Civil, ao Conselho Tutelar e a outros órgãos.

A residência da família, porém, fica em um local muito violento da comunidade Gogó da Ema, que é uma das favelas mais violentas da cidade. Esse cenário demandou uma estratégia que permitisse o resgate da criança sem expor outros moradores ao risco de uma operação.

Policiais da 54ª DP (Belford Roxo) monitoraram a movimentação das suspeitas e prenderam as duas no Centro de Belford Roxo enquanto uma equipe do Conselho Tutelar do município, autorizada pela Justiça, foi até o local e resgatou o menino.

O delegado José Salomão Omena, titular da 54ª DP, informou que a vítima apresentava inanição, desidratação e diversos machucados pelo corpo. Um exame de corpo de delito, que atestará a gravidade das lesões, já foi solicitado.

A criança foi encaminhada para tratamento e está internado devido a um delicado estado de saúde. As criminosas já deram entrada no sistema prisional.

Além do crime de cárcere privado, elas também serão indiciadas pelo crime de tortura. As penas podem chegar, somadas, a mais de 15 anos de prisão.

Um projeto de lei foi aprovado na Câmara dos Deputados para ampliar as penas para o crime de maus tratos a crianças e abandono de incapaz. O projeto é de autoria do deputado Hélio Lopes (PSL-RJ) e agora tramita no Senado Federal.

1 COMMENT

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here